Buscar
  • Ale Ferreira

Neuromarketing - o que é e o que não é!

Atualizado: Set 24

Muitos já sabem que sou apaixonada pelo Neuromarketing. Nesta ciência eu encontrei várias respostas referente ao comportamento humano no que diz respeito às estratégias de marketing.

O Neuromarketing é uma ciência que reúne o marketing, neurociência, biologia, psicologia e antropologia para entender com profundidade as origens do comportamento de consumo humano.

Esta ciência, traz uma série de pesquisas e estudos de como nosso cérebro age mediante a decisão de uma compra, e porque escolhemos determinadas marcas.

Diariamente nossos cérebros são invadidos por milhões de imagens e mensagens, estamos vivendo a era da informação. Mas, alguma vez você se perguntou, como uma marca ou uma propaganda conseguiu minha atenção, e o que me fez decidir por determinada compra?

O Neuromarketing trouxe esta luz sobre o entendimento de como o cérebro reage aos estímulos de consumo, o que possibilita a construção de uma mensagem mais eficiente, potencializando sua retenção na memória e conquistando um relacionamento mais profundo com os consumidores.

No livro “A Lógica do Consumo” de Martin Lindstrom, o autor apresenta os resultados de uma pesquisa pioneira e ambiciosa na área da neurociência, comprovando que nem sempre o que dizemos corresponde ao que pensamos de fato, e que nossos desejos estão em conflito com nossos próprios valores morais. Suas descobertas foram surpreendentes e confirmaram que as estratégias tradicionais de marketing não são mais eficientes para as marcas. Sua pesquisa foi realizada através de exames com equipamentos de eletroencefalograma, eletrocardiograma, eletromiografia facial, eye tracking, entre outros, com aproximadamente dois mil voluntários em diversas regiões do mundo.


Neurométricas

Para você dar uma pitada de Neuromarketing na sua comunicação, comece perguntado:

Como chamo ATENÇÃO da minha audiência?

Como eu crio EMOÇÃO ou conexão com meu público?

Como eu gero MEMÓRIA de longa duração?

Podemos dizer que os elementos, atenção, emoção e memória são as métricas do neuromarketing para o início da trajetória da sua estratégia.

Atenção: Segundo o especialista Fernando Kimura, prestar atenção em algo ou alguém é um processo consciente, mas para isso acontecer, é necessário que nossa atenção esteja focada em um estimulo.

Emoção: o que sentimos? como sentimos e por que sentimos? emoção tem papel fundamental para todos os aspectos da comunicação, inclusive para a construção de relacionamento com a marca e a fidelização do consumidor.

Memória: Sabemos que é cientificamente comprovado que 5% da nossa memória reside no consciente – a chamada memória de curto prazo ou trabalho. Os 95% restantes estão no subconsciente, na chamada memória de longo prazo. Mas como elas se formam? Outro dado científico é que criamos memória de longa duração através das fortes emoções, sejam elas positivas ou negativas, e também por repetição, exemplo: jingles, dança coreografada, entre outros.


O que não é neuromarketing!


  • PNL – programação neolinguística

  • Hipnose

  • Psicologia do comportamento

  • Gatilho mental

Lindstrom defende a ideia de que a simples observação do comportamento das pessoas não servir de embasamento para uma hipótese de neuromarketing. Esse comportamento observado deve ser correlacionado com alterações neurológicas ou biológicas associados ás tecnologias de ressonância magnética


Lembre-se que apesar de sermos de culturas diferentes e termos nossas próprias experiências com desejos necessidades específicas, somos seres biológicos de uma única espécie, e por isso temos comportamentos cerebrais e corporais parecidos até mesmo iguais, possíveis de serem mensurados pelo olhar de marketing e estudados pela ciência.


Até a próxima!

Ale Ferreira


Fontes:

A lógica do consumo - Martin Lindstrom

Neuromarketing aplicado ao marketing (ebook) – Rejane Toigo

5 visualizações

©2019 by Tencom. Proudly created with Wix.com